A Onda dos Aplicativos

Ao decorrer dos anos a tecnologia vêm sendo aprimorada e recursos criados com a finalidade de facilitar...

Wednesday, 16 de November de 2016


Por Milena Baesso e Yara Macena

Ao decorrer dos anos a tecnologia vêm sendo aprimorada e recursos criados com a finalidade de facilitar o cotidiano agitado das grandes metrópoles, a área corporativa, visando inovação, desenvolve aplicativos que propõem agilidade e comodidade na realização de tarefas rotineiras e empresariais.

Na informática, um software aplicativo é um tipo de software concebido para desempenhar tarefas práticas ao usuário para que este possa concretizar determinados trabalhos.

A onda dos aplicativos esta em grande ascensão, e diariamente a aderência da população tem sido expressiva, provavelmente porque os aplicativos atendem as necessidades de vários públicos, e possuem finalidades diversas. Nos dias atuais encontramos aplicativos nas áreas: alimentação, vestimenta, locomoção , entretenimento e soluções coorporativas.

Segundo a Psicóloga Anna Lucia Spear King¹, adoramos as tecnologias e elas são fundamentais para o desenvolvimento de todas as áreas, mas ressalta-se a necessidade do uso consciente dessas tecnologias para que ao longo do tempo não se torne prejuízos, ao invés de benefícios.

Observa-se que apesar da praticidade e facilidade proporcionadas pelo software aplicativo, não podemos deixar de lado a qualidade dos serviços prestados, e ter o discernimento que a tecnologia é um dos nossos principais aliados na comunicação, contudo devemos ficar atentos com o descontrole no uso destes recursos tecnológicos e utilizá-los com cautela evitando uma futura dependência.

A facilidade e o imediatismo que os aplicativos proporcionam encantam, mas podem nos tornar impacientes, e nos afastar daqueles que estão próximos, assim, é preciso atenção e cuidado visto que excessos, não são benéficos, e podem deixar marcas negativas irreversíveis, tanto físicas como mentais.

Certamente, precisamos e devemos valorizar o desenvolvimento, a evolução, mas o uso desenfreado torna fútil e banaliza àquilo que deveria ser inovador, por isso, assim como a psicóloga Anna Lúcia, indicamos a prática do uso consciente sempre.

¹ Psicóloga Clínica. Psicoterapeuta Cognitivo-Comportamental. Pós-doutoranda (CNPq). Doutora e Mestre em Saúde Mental pelo Programa de Pós-graduação em Psiquiatria e Saúde Mental (PROPSAM) do Instituto de Psiquiatria (IPUB) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Membro do Comitê de Bioética do IPUB/UFRJ. Pesquisadora do Laboratório de Pânico e Respiração (LABPR/IPUB/UFRJ). Professora da Pós-graduação do IPUB/UFRJ no tema: “O impacto das novas tecnologias interferindo no comportamento humano”

voltar